ANP não tem dinheiro para fiscalizar postos de combustíveis

O corte de gastos do governo federal está prejudicando o acompanhamento do preço dos combustíveis. A Agência Nacional de Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural (ANP) está com dados defasados diante do menor repasse de recursos para a pesquisa semanal dos valores dos combustíveis. O número de estabelecimentos que estão no levantamento foi reduzido em todas as capitais. Além disso, desde o dia 30 de julho, 42 municípios foram excluídos da pesquisa semanal.

No Distrito Federal, a agência pesquisava os valores dos combustíveis em 170 estabelecimentos antes do corte de verbas. Agora, são apenas 34 — queda de 80%. O último levantamento, feito na  sexta-feira, 1º de setembro, e divulgado na segunda, 4, registrou que o litro da gasolina a R$ 3,28 num posto da Candangolândia, muito abaixo do que está sendo cobrado.

Correio procurou o estabelecimento, localizado no Setor de Postos e Motéis Sul (SPMS). Os frentistas afirmaram que o preço era de R$ 3,89 no período da pesquisa da ANP e que não lembravam quando foi a última vez em que o valor estava em R$ 3,28.

A ANP não respondeu à demanda, mas confirmou, por telefone, que houve um corte de recursos para a realização da pesquisa. Segundo a agência, o principal objetivo do levantamento é contribuir para que o consumidor busque as melhores opções de compra.

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br